quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

carnaval pé no chão

Carnaval acabou e todo ano todo folião tem a mesma sensação: foi pouco, quero mais!

Nem me incluo entre os foliões típicos porque, apesar de achar o carnaval a festa mais linda do mundo, sou uma foliona atípica: danço, canto mas sou muito mais contemplativa.

Adoro ver os maracatus, os afoxés, caboclinhos, os blocos líricos e todo tipo de fantasia que o povo inventa. O carnaval é, por excelência, a festa da irreverência, da alegria, da piada, do bom humor.

Tem quem ache tudo isso superficial, sem profundidade, frívolo. E é mesmo, ainda bem. No carnaval podemos assumir nosso lado mais fútil sem culpa, cometer alguns pecadilhos, inventar fantasia, brincar, enfim, ser novamente criança. Afinal ser o ano todo criança é impossível...

Mas carnaval também é coisa séria para muitos brincantes. Falo disso pensando nos caboclos de lança dos maracatus rurais que se preparam o ano inteiro, bordando suas golas e depois viajam da zona da mata até Recife/Olinda para se apresentar.Também penso nos integrantes das escolas de samba, dos afoxés, caboclinhos, pessoas simples, pobres das coisas materiais mas imensamente ricas de espírito, de bravura. Pessoas que mesmo fodidas, lascadas e mal pagas fazem questão de manter a tradição do seu folguedo, da sua escola que, muitas vezes, é o que dá sentido às suas vidas.

É por essas e outras que, mesmo se um dia eu parar de brincar carnaval (e a cada ano eu brinco menos...), o carnaval sempre será uma festa que terá o meu respeito e admiração, seja aqui, em Pernambuco, ou em qualquer lugar do Brasil onde as pessoas façam uma festa bonita de se ver e brincar.

Sei que esse samba é melancólico mas os sambas mais lindos são melancólicos mesmo, né não? Lembrei dele quando decidi escrever esse texto: Tristeza Pé no Chão com a saudosa Clara Nunes.




6 comentários:

António Eduardo Lico disse...

Vale sempre a pena rever e ouvir Clara Nunes.

sandra camurça disse...

ela é maravilhosa mesmo

Ulisses Borges disse...

Como escreveu o Vinícius de Moraes, "pra fazer um samba com beleza é preciso um bocado de tristeza". Concordo contigo, Sandra! Sinto as mesmas coisas em relação ao carnaval. Embora eu dele não tenha participado nos últimos anos, acho uma festa linda e a admiro, mesmo que apenas como espectador pela televisão. Chato é quem desdenha essa festa, desdenhando, consequentemente, as mais antigas tradições do nosso país! E o que dizer sobre Clara Nunes? Sou suspeito para escrever qualquer coisa sobre ela. Para mim, Clara Nunes é uma força da natureza! E pô, como eu gosto de ouvi-la!

sandra camurça disse...

Ulisses, você é sempre um lindo nas palavras... Feliz em te ver aqui :)
Beijão!

conradopreto disse...

Moça, abandonastes o twitter?
Abração!

sandra camurça disse...

Abandonei não! Beijos