sábado, 30 de julho de 2011

espanto


  hoje nasci toda espanto. espanto de alma rasgada. toda lágrima (sem querer) querendo seus abraços, seus olhares, seu carinho. eu saudosa, inquieta, ansiosa... meu coração apertado de lembranças. bainha da saia por fazer (tanto por fazer...): vou deixá-la desfiando em sonhos, até o pôr-do-sol nascer - lilás - recostado na vegetação desse ser(tão) selvagem!

3 comentários:

Eroticamente (In) Correto disse...

Que lindo e triste e poético,... E há sempre tanto por fazer,...


Beijo do IN_

Vais disse...

Pôxa, Sandrinha
emocionei
nascer toda espanto de alma rasgada
e tanto por fazer
e a barra da saia desfiando em sonhos
lindo, minha doce querida
beijinhos

Ana disse...

É tudo muito lindo!!
(Tudo que leio e sinto, aqui.)