quinta-feira, 3 de maio de 2007

sonho é vida é sonho

Vivo e sonho
sonho desperta, sonho dormindo
sonho e vivo a impermanência das coisas
Tudo passa, tudo é sonho, tudo é vida
que passa...
Vivo e mato-me
mas renasço, uma, duas, três vezes
a cada dia a cada instante
Se não morro
a vida me mata
quantas vezes for necessário
até que eu entenda
que tudo é ilusão
então renasço
sem peso
e aprendo de uma vez
que a vida é sonho
e sonho é vida
na vida de quem sabe o que é
felicidade

3 comentários:

Moacy Cirne disse...

Sandra: O seu poema anterior já está no Balaio. Enquanto isso, "sonho é vida", sim. Um beijo.

ACANTHA disse...

Mais zen, impossível.. Beijão Dona Menina!

Márcia disse...

é isso mesmo, sandra.
um beijo.