sexta-feira, 3 de abril de 2009

de gozo


quando cai a noite

um fogo cresce em mim
ardendo em desejo e mel
bem no fundo da rosa carmim

flama cortante, delirante
rasgando comendo meu céu
de gozo em gozo, até o fim

5 comentários:

Giovanni Gouveia disse...

Nossinhora, veneno puro...

Bacci, miga


chipele

Vieira Calado disse...

Sensual...

Bjs

Moacy Cirne disse...

Quando cai a noite, noite,
a sua poesia nos atinge em cheio,
cortante como se fora açoite.

Beijos.

orlando pinhº d-silva disse...

também demorei!
saí da net por muitos dias.
fui refugiar-me em lugar sem computador.
volvo a ver mia poeta
atitude,
entrar em plenitude!

BAR DO BARDO disse...

sandra,

difícil mulher se expor asssim
sem ademanes...

bom texto!