quinta-feira, 11 de junho de 2009

intensa


Lígia gosta de lamber esperma. Lambe tudinho, tudinho, do início ao fim. Lambe com sofreguidão. Lambe morrendo de fome. Lambe celebrando a vida que jorra do seu amado. Lígia não deixa escapar uma gota de vida sequer. Quando lambe, Lígia é a própria vida: a vida e o desespero de vida.

7 comentários:

Moacy Cirne disse...

Grande - e maravilhosa - Lígia...

Um beijo.

Roy Frenkiel disse...

Assassina de bebes nao nascidos! (ironia mode on hehehe)

bjx

RF

Jens disse...

Bendita carência de amor, paixão, prazer e alegria; sinal de que a vida pulsa no coração, nos nervos e músculos de Ligia. Mais bendita ainda a determinação de Lígia de não perecer de sede.
Beijo, Sandrix.

PS: tem um entrevistaço do Moacy no Palimpnóia. Aqui: http://palimpnoia.blogspot.com/

Cris disse...

Oi, lindinha,

Intensa Sandra.Como gosto de te ler. E fazia tempo. Tomei um porre .

Beijo, querida.

cássio amaral. disse...

me apresenta a lígia por favor.

orlando pinhº d-silva disse...

lígia
lânguida
lambe
lâmpadas

BAR DO BARDO disse...

aparentemente sujo
porém, nada mais imaculado
que o de cujo