sexta-feira, 13 de abril de 2012

emoción de la panza


Ao falar em emoção, a maioria lembra aquele órgão que pulsa involuntariamente, o coração. Pra mim é no estômago ou - mais coloquial e afetuosamente falando - na barriga que as emoções mais se manifestam.

Quando digo "emoções" refiro-me a praticamente todas elas. Sabe aquele nervosismo que dá quando a gente tem que falar em público? Quem é tímido sabe do que estou falando. Pois bem, em mim esse tipo de situação me leva a procurar desesperadamente por um banheiro...

E tem aquele friozinho que dá na barriga quando a gente encontra aquela pessoa que nos faz suspirar...aiai... Sem dúvida, é na barriga que se manifestam as emoções.

O que um susto ou uma notícia violenta podem nos causar são "um soco no estômago", né não? Úlceras podem surgir decorrentes de uma vida estressante e cheia de preocupações. Em compensação, o riso nasce da barriga, como já disse o poeta Cisco Zappa. E quem há de contradizê-lo? Basta ver como a barriga se mexe com uma boa gargalhada.

Mas a barriga também chora, chora com a gente, copiosamente... E quando a gente tá com "o coração na boca"  foi a barriga que o levou até lá. Ou por acaso você acredita que o coração tem perninhas pra andar até a boca?

Além disso a barriga é um abrigo tão gostoso que, ao nascer, a gente chora de saudade.

Enfim, por tudo isso, pelo choro ou pelo riso, nossas barriguinhas merecem oferendas. Portanto e por tanto comam, comam comidinhas deliciosas e também comam-se, devorem-se (não, nada de canibalismo, digo no sentido sexual mesmo) e depois descansem barriguinha com barriguinha, é tão bom... Elas, as barriguinhas, agradecerão porque prazer, seja da gula ou da luxúria, passa pelo cheiro, pela boca e se refugia na barriga.

No mais, em minha modesta opinião, as barrigas tipo tanquinho que me perdoem mas uma gordurinha é fundamental! Existe coisa mais sem expressão (e emoção) que uma barriga tipo tanquinho?

PS: A barriguinha da foto é de Marilyn Monroe. Duvida?

4 comentários:

Vais disse...

Ei, Sandrinha,
adorei, Dona Moça!
e concordo com você sobre o tipo tanquinho, falta carne, sem um pingo de inveja, mas este padrão de beleza e tá mais padrão de magreleza, as mulheres parecem que estão doentes, elas passam fome, e acho bem mais bonito ou faz bem aos olhos ver os coxão e uma bumda carnuda, eheheh
beijos, minha querida

sandra camurça disse...

Pois é, Vais querida!
nada contra os/as magrinhos/as mas carne dá um aconchego, né?
beijos, moça linda

Raul Motta disse...

Sandra,

tens razão: "barriga tanquinho" é como rosto com botox: sem expressão... Quanto sofrimento auto-inflingido, não?

Abraços!

sandra camurça disse...

Raul,
acredita que eu ia fazer essa associação? que barriga tanquinho é como rosto com botox? juro! mas desisti, nem me lembro mais porquê.
abraços!