segunda-feira, 4 de junho de 2007

Gente, perdão pelo atraso! É que nesse último final de semana precisei ajudar uma amiga na organização de uma exposição de fotos, por isso não tive tempo pra postar. Mas agora cá estou para o vosso deleite semanal (risos). Bem, deixemos de blá blá blá e vamos à postagem.


ooooooooooooo


às vezes

não é que eu não goste de tranqüilidade
é que às vezes a acomodação se traveste de paz
não é que eu não goste de limpeza
é que às vezes a assepsia é muito fria
não é que eu não goste da virtude
é que às vezes só o vício me salva
não é que eu não goste de harmonias
é que às vezes meu toca-disco pede ruído
não é que eu não goste de alegria
é que às vezes a melancolia vem à revelia
não é que eu não goste de ordem
é que às vezes na bagunça a vida é mais viva
não é que eu não goste de luz
é que às vezes à sombra eu vejo melhor
não é que eu não goste de você
é que às vezes eu preciso estar só


OOOOOOOOOOO
o
o
E agora, pra acalentar os corações e deixar a vida mais leve, MÚSICA!
p
Já falei aqui sobre Junio Barreto, compositor pernambucano de Caruaru. Resolvi falar novamente porque gosto de compartilhar boa música com amigos e amigas. E alguns (Pirata, Vais e Marcelo) freqüentam o refúgio faz pouquíssmo tempo, portanto não leram aquela postagem.
p
Junio é um moço sossegado, gente finíssima. Sabe aquele tipo de pessoa que a gente não precisa conhecer muito pra saber, logo de cara, que é gente boa? É Junio. E além das qualidades pessoais, esse rapaz compõe divinamente bem, faz um samba de terreiro de dar gosto... e sua poesia é comovente de tão bela. Ai ai ai, às vezes acho que não é uma boa falar bem demais, pra ninguém esperar um gênio. Mas não resisto porque adoro, ADORO a música dele. Sua voz também é muito bonita... Ah, gente, só ouvindo! Não tenho a capacidade de traduzir em palavras a delícia de música/poesia que Junio faz. Procurem nas lojas seu disco de estréia e se não encontrarem tentem a Trama Virtual.
p
Só para seduzi-los (as) de vez, eis alguns versos do rapaz...
"...valei-me a serena guiou pra onde impera as coisas rodeias do coração..."
"...oi vindo girado num riso sereno guardado no brilho cedinho da flor..."
"...na casa mora a rua toda e ainda cabe o dia..."
p
Ah, já ia me esquecendo, Junio é apaixonado pela prosa poética de João Guimarães Rosa.
p
YYY
o
É tudo por hoje
Beijão procês
e grata pelo carinho de sempre
Inté
pp
p
p

"Não tema o progresso lento
receia apenas ficar parado"
sabedoria chinesa

6 comentários:

ACANTHA disse...

Muito, muito, muito lindo... Viu pq você faz tanta falta? Falta muito para o "agora, em definitivo, Sandra????

Jens disse...

Puxa Sandrix, lindo, lindo, lindo.
Não é que eu não saiba viver sem você
não é que eu seja egoísta
mas a tua presença em forma de poema torna menos áspero o meu cotidiano.
O mundo fica melhor com você aqui e agora todos os dias.
Volta logo.
Um beijo.

Moacy Cirne disse...

Sandra: O jogo de contrários em 'As vezes' tornou-se poesia na medida certa de nossas incertezas poéticas. Parabéns pela postagem. Inté.

Marcelo F. Carvalho disse...

"não é que eu não goste de luz
é que às vezes à sombra eu vejo melhor
não é que eu não goste de você
é que às vezes eu preciso estar só"

Isto é beleza suspensa no ar, como gotas de chuva ainda nuvem. Lindo demais. Parabéns!

Jens disse...

A sexta-feira está chegando. Uêba!

Marconi Leal disse...

Esse negócio de postagem semanal não tá com nada. Faça-se uma vaquinha para pagar a internet, oras! Beijos.