terça-feira, 29 de abril de 2008

sobre meu pai

Eu só queria falar um pouco sobre esse homem, esse cearense, aparentemente simples. Esse homem que gostava do mato, de engenho de cana e adorava chupar rapadura. Seu Maurício tinha alma de matuto sem ser matuto (papai era capaz de conversar sobre qualquer assunto). Foi engenheiro agrônomo e amava a natureza e os animais. Quando criança, ele me levava para o parque de exposição de animais e me falava sobre o gado, os eqüinos, os caprinos... Meu pai também adorava os filmes de Mazaropi, morria de rir. E também gostava de uma piada safada... Mas Seu Maurício também era um homem sério, reto, honesto, principalmente no trabalho.

Na Paraíba, nos anos 60, foi Secretário de Agricultura e trabalhou sempre a favor do pequeno agricultor. Certa vez ganhou de presente um cavalo (provavelmente de um latifundiário). Papai adorava cavalos mas não aceitou o presente, afinal ele sabia que ninguém dá um cavalo de presente em troca de nada.

No Rio de Janeiro foi diretor da Abicar (depois Emater), instituição que oferecia assistência e crédito rural ao pequeno agricultor. Mas no início da década de 70, em plena ditadura, o governo proibiu a concessão de crédito, permitindo apenas a assistência. Mas ora, como dar assistência sem dar os meios ao agricultor? Diante dessa situação meu pai pediu demissão.

Em Recife Seu Maurício criou a UNO (União Nordestina de Assistência a Pequenas Organizações), instituição pioneira no mundo (não, não estou exagerando, é verdade) com o programa de microcrédito. A UNO foi o exemplo que o Prêmio Nobel da Paz de 2006, Muhammed Yunus conheceu para criar o seu programa de microcrédito em Bangladesh.
Vocês nem imaginam como isso me enche de orgulho. Mas o que realmente me faz ter uma grande admiração (e amor, evidentemente) pelo Seu Maurício é uma outra história.

Na década de oitenta, com a anistia e o retorno dos exilados políticos, Maria Áurea, na época diretora geral da UNO, perguntou ao meu pai, superintendente da instituição, se ele receberia um grupo de ex-exilados que estavam desempregados. Seu Maurício disse que receberia sim e que depois de entrevistá-los, os que demonstrassem competência seriam contratados, tornando-se funcionários da UNO. Com isto, a cada dia Maria Áurea trazia um novo nome ao Seu Maurício e ele perguntava: “È mais um daqueles?”. Maria Áurea dizia que sim e Seu Maurício entrevistava o candidato. Meu pai nunca se disse de esquerda, muito menos de direita. Agia de acordo com seus próprios princípios. Fazia aquilo que achava correto e apesar de ser muito racional também pensava com o coração. O fato é que no final Seu Maurício ou Dr. Camurça acabou contratando todos aqueles ex-exilados e podem crer, alguns deles eram completamente incompetentes (risos).

É tudo. Poderia escrever mais, no entanto acho que escrevi o suficiente sobre meu pai para que vocês conheçam um pouco desse homem que era meio moleque, gostava de piadas maliciosas e irônicas, um homem empreendedor, muito inteligente mas modesto, de bom caráter, honesto... Mas o que eu queria dizer mesmo, o que realmente importa é que Seu Maurício sabia amar as pessoas.


meu pai e eu
PS: Amigos e amigas estou sem computador em casa, agora estou morando com minha mãe, Dona Amélia, que tá precisando de companhia e força até mais que eu e minhas irmãs. Por isso perdoem-me por não estar fazendo visitas aos seus blogues. Um beijo e um abraço carinhoso em cada um/uma de vocês. Té qualquer dia. E grata, muito grata pela força.

sexta-feira, 18 de abril de 2008

Maurício Camurça (13/11/1928 - 17/04/2008)

Ontem à tarde Seu Maurício, enfim, descansou... Hoje, ao meio-dia, foi sepultado e homenageado por amigos e amigas de trabalho. Seu Camurça foi /é uma pessoa muito amada e admirada por muitos, não só pela esposa, filhas, neto, netas e outros parentes. Eu gostaria de falar mais um pouco mas acho que vai ficar pra outra vez.

PS1: pra quem não sabe Seu Maurício é meu pai. Ele sofria de Mal de Alzheimer há 8 anos e nos últimos 7 meses estava sobrevivendo em casa, em cima da cama, levando uma vida praticamente vegetativa. Agora ele está com os anjos, ou virou um anjo...
PS2: sou eu e ele na foto acima.

Abraços.

Ah, apesar da emoção ser um bocado forte (nem sei por quanto tempo essa dor vai doer) gostaria de dizer umas palavras que refletem a pessoa maravilhosa que meu pai foi. Quando criança, se perguntávamos a meu pai se podíamos fazer isso ou aquilo, ele respondia: "quando a gente quer fazer uma coisa a gente não pede permissão, a gente FAZ".

Mais abraços.

quarta-feira, 9 de abril de 2008

Pop Art - de Roy para Roy

"Paisagem com Filósofo"


Dedico esta postagem a Roy Frenkiel, um judeu inteligentíssimo (epa, judeu inteligentíssimo é redundância), inquieto, intenso e brasileiro morando nos Isteitis (o que é que cê tá fazendo aí, menino? Volta pra casa, volta! rsrsrs).

terça-feira, 8 de abril de 2008

na pedra que canta
nuvens líquidas são trovadores-
trova d'águas
tromba d'água
trovoadas

segunda-feira, 7 de abril de 2008

domingo, 6 de abril de 2008

Meu Santinha


"Eles, que maltratam o clube e a torcida, brevemente passarão.
Eles, que vão às TVs, rádios e jornais, para dizer que o clube está falido, devendo a todo mundo, que não tem dinheiro para nada, passarão.
Eles, que destratam velhos conselheiros, que impedem a discussão sobre problemas quase incontornáveis do Santinha, passarão.
Eles, que afastam do Mais Querido toda uma nova geração de possíveis dirigentes, colaboradores, voluntários, passarão.
Eles, que se apossam do nosso clube e se julgam donos de uma das maiores riquezas de Pernambuco, passarão.
Eles, como diz o poeta, eles passarão.
Nós, passarinhos..."
Do Blog do Santinha na postagem "Eles Passarão".
Quem são eles: os atuais dirigentes do clube, bando de ladrão!
Quem somos nós: a torcida tricolor, indignada!
A arte acima é do designer gráfico Rubens Souza.

sexta-feira, 4 de abril de 2008

quinta-feira, 3 de abril de 2008

o Tom Zé tem um blogue!

Adorei saber disso! É bem recente, de fevereiro deste ano. Descobri pelo blogue do César xrmr.

Aí vai o trecho final da postagem "O deus dormindo":

"Tenho ouvido música espanhola, em especial asturiana, cantares de cegos e produções recentes do pessoal de lá, já que vou trabalhar lá na próxima semana e estou me preparando. Espero mandar recados durante a viagem, me comunicando com vocês.

Antes disso ainda conversaremos.

Gente toda, um abraço, até logo,

Tom Zé"
O bonequinho acima tá no blogue dele e foi feito por Cacinho Jr, Josy Visonar, Diogo Albino e Raoni Vidal -
Minas Gerais

Quem quiser conhecer o Blog do Tom Zé basta clicar aqui.
:-)
Inté!