quinta-feira, 6 de outubro de 2011

chão e água


numa noite chuvinha
invento você e eu: chão e água
absorvidos um no outro
nessa cama desarrumada


hoje amanheci de sol
e cheiro de terra molhada




6 comentários:

Raul Motta disse...

Se
[dizem]
todos nascemos do barro
ora pois
se não pode
amor ser soma
fluido
lama?


.


Abs.!

sandra camurça disse...

Sim, Raul, lama, muita lama! pra se lambuzar todinho, tudinho, rs..
Adorei o comentário!
Beijos

Vais disse...

Ê Sandrinha, cadê, eu sei que vi, voando por aqui um passarinho azul,
demais, demais, demais, que barato querida, aonde ele se meteu :( hehehehe
gosto até de você

chão e água
inventos e imagens
e a misturança

beijos mis

sandra camurça disse...

rsrs... pois é querida, o passarinho azul apareceu e sumiu. tava só testando mas achei ele meio exibido, rs... mas tbm achei bem bacaninha, ele desce planando e sobe batendo as asinhas, perfeito!

beijos, muitos

Leonardo B. disse...

[murmúrios do mundo reinventado,

em cada manhã da palavra, em cada manhã do corpo, em cada lugar onde mundo se faz manhã e murmúrio]

um imenso abraço,

Leonardo B.

sandra camurça disse...

Leonardo, grata pela visita e comentário poético :)
Beijos