segunda-feira, 17 de outubro de 2011

lacrima



até parece doçura
quando inclino meus olhos rasos
e declino em lágrimas 
essa dor pungente
:
mas é tão somente 
meu espetáculo
escorrendo pela tangente
:
faz parte do meu choro
lamber tristeza
no canto dos lábios



9 comentários:

Leonardo B. disse...

[a lágrima,
o primeiro dos refúgios

da foz de dentro]

um abraço,

Leonardo B.

sandra camurça disse...

Leonardo, grata pelo comentário.
Beijos

Raul Motta disse...

Pra matar a sede, tudo vale!

[o poeta é mesmo um fingidor...]

Abraços!

sandra camurça disse...

Como diz Lau Siqueira: "poesia é uma verdade que todos sabem ser puro fingimento"
Grata, querido!
Beijos

Vais disse...

poxa, Sandrinha, que lindo!
bateu aqui querida, bem no coração

"lamber tristeza
no canto dos lábios"

putz, é assim mesmo

beijos pra ti doce Dona Moça

sandra camurça disse...

Ô, querida, muito, muito grata!
Beijos, minha flor

luiz gustavo disse...

atiça-me
vê-la abrupta rompendo
com os tornozelos
do poento crepúsculo
como um dardo insone
costurado às vigas
dos meus cotovelos curvos
onde os corvos crivam de cicadas
a carcaça encurvada da corvina

Dija Darkdija disse...

Lambeu tristeza, e eu vi poesia mesmo embaçado. Muito legal..

sandra camurça disse...

Luiz, grata pelo comentário, sempre tão poético!
Beijos

**

Dija, grata!
Um abraço