quarta-feira, 12 de outubro de 2011

A poesia da filha do poeta

Musical - arte de Martha Barros  


Já conhecia a arte da Martha Barros através das ilustrações/pinturas do livro de seu pai, Memórias Inventadas - As infâncias de Manoel de Barros. Mas só ontem fui atrás de algum site que tivesse seu trabalho. Acabei encontrando seu site oficial. E mais uma vez me encantei.


A Martha faz uma pintura muito espontânea, como desenho de criança. Mas não se enganem os defensores da pintura realista. Ainda que espontânea, há um trabalho de composição e de uso de cores, um trabalho movido à intuição e sensibilidade. Como bem diz o texto de apresentação da artista, sua pintura lembra as vanguardas do início do século XX, a arte de Paul Klee, Marc Chagall, Wassily Kandinsky e Joan Miró. Artistas que se desvencilhavam das amarras do realismo, do objeto real, do racional e mergulhavam no sonho e no imaginário. Dá gosto de olhar!


É também notória, em sua arte, a influência da poesia de seu pai. O lúdico, o gosto pelas coisas pequenas, as insignificâncias dos trapos e dos sapos, estão lá presentes, em formas, traços e cores. Como diz o próprio Manoel de Barros:


“Ela faz metáfora de pássaros, de peixes, de conchas, de sapos. E muitas descoisas. Imagens trazidas por rastros de suas memórias afetivas. Martha não copia a natureza, ela desfigura os seres e as coisas”. 


A arte da Martha é jovial e rejuvenescedora, tem a inocência e a despretensão da infância, é sonho e poesia!
Quem quiser conhecer mais basta visitar o site linkado acima.



4 comentários:

dade amorim disse...

Se não fosse filha do poeta, talvez ela não fizesse esse tipo de arte. Mas quer saber? Gosto mais dos desenhos dela do que dos poemas dele.

Beijo.

sandra camurça disse...

Dade, tou apaixonada pela arte da Martha Barros, quanto à poesia de seu pai, não morro de amores mas gosto, tanto que já me deu inspiração em alguns escritos. Enfim, há gosto pra tudo e viva a diversidade, né não?
Beijo

Murillo diMattos disse...

Tanto um quanto outro para mim são bons, ótimos, no que fazem, e me dizem muito. Busco inspirações nesses dois. Pena que nesse país figuras assim são esquecidas pela mídia popular, o que acaba empurrado a arte de alguns para o circuito alternativo, que é bom, mas na questão da divulgação, por ser fraca ou por uma de questão de postura ideológica mesmo, não alcança as massas... Gostei do espaço virtual. Abraços, sempre!!!

sandra camurça disse...

Grata pela visita e comentário, Murillo.
Abraço!