domingo, 27 de fevereiro de 2011

Além da Realidade - um animatrix


Que Matrix, dos irmãos Wachowski, é um dos melhores filmes de ficção científica da história, todo cinéfilo sabe. Não apenas por seus efeitos especiais mas principalmente pelo enredo que aborda questões ligadas à realidade virtual, filosofia e política (por que não?). Matrix está ao lado das grandes e memoráveis ficções científicas que fazem pensar - não é apenas entretenimento. Junto a Blade Runner- O Caçador de Andróides, de Ridley Scott e 2001- Uma Odísséia no Espaço, de Stanley Kubrick, Matrix já faz parte da antologia das ficções científico-filosófico-existenciais. Inesquecível!

Entretanto, Animatrix, creio que poucos conhecem, provavelmente só os fãs de Matrix. Trata-se de um conjunto de 9 contos/animações, alguns escritos por Andy e Larry Wachowski, que combinam computação gráfica com o anime japonês. Os contos falam sobre os acontecimentos relacionados a Matrix, a guerra contra as máquinas e a posterior subjugação da espécie humana.

Dentre os meus prediletos, um especialmente me encanta pela magia e delicadeza. Chama-se Beyond, (no Brasil, Além da Realidade).O curta é a história de uma falha no sistema operacional da Matrix: um terreno abandonado com uma mansão de aspecto mal-assombrado, onde o inusitado e o impossível, para as leis da física, acontecem para alegria de algumas crianças em busca de aventura em meio a rotina de uma cidade e humanidade mecanizadas. Mas como toda falha em um sistema deve ser corrigida... Bem, não direi mais nada sobre a história, melhor é assisti-la.

Só queria acrescentar que este conto me faz pensar o quanto é lamentável quando a magia e o encanto são considerados supérfluos, se não perigosos; como um regime totalitário (no conto, representado pelo sistema operacional da Matrix) sempre se sente tão ameaçado diante de situações que fogem ao seu controle; e que o excesso de assepsia, em tudo, se assemelha às ideologias fascistas e de extrema direita. Ao assistir a animação vocês irão entender porque estou dizendo isso - ou não: afinal, cada um faz sua própria leitura.

Infelizmente, no youtube, só encontrei a versão sem legenda, mas encontrei outra, legendada, aqui: Comunidade Geek: Além da realidade

Ah, a animação tem roteiro e direção de Kôji Morimoto. Não deixem de assistir! Só vão precisar de um pouco de paciência porque às vezes o vídeo demora pra carregar, normal...

8 comentários:

Jens disse...

Oi Sandrix.
Como domino com perfeição apenas três línguas, e entre elas não está o inglês, minha compreensão ficou prejudicada. No entanto, isto não me impediu de admirar a união feliz dos recursos tecnológicos com a linguagem dos desenhos animados nipônicos, inclusive o registro de cenas de delicada poesia visual. Portanto, foram 10 minutos bem gastos.

Beijo pra você.

(PS, os idiomas que me expresso com fluência são o português, o gauchês e o porto-alegrês).

sandra camurça disse...

Jens, eu não chego nem perto de dominar o inglês,coloquei a versão sem legenda aqui porque não tinha outra opção: no youtube não tem legendada. Não tenho Animatrix em meu computador, assisti há alguns anos atrás. Mas encontrei uma versão legendada no blog da Comunidade Geek (linkada na postagem) e como domino poucos recursos da internet não soube trazer a versão legendada pra cá.

Sei perfeitamente que vc se expressa com fluência em português, enquanto eu, nem isso...

Beijo

sandra camurça disse...

Ah, só mais uma coisa: os diálogos não são tão importantes. O desenho fala por si.

Halem Souza disse...

Eu comprei há uns três anos um(a) box especial da trilogia Matrix (sou fanático, principalmente pelo primeiro - e definitivo - filme), no(a) qual um dos discos-extras continha alguns desses curtas do Animatrix. Tem toda razão; é sensacional!

Mas não são só regimes totalitários que consideram a magia e o encanto supérfluos (vou reunir os dois conceitos numa palavra que gosto mais: fantasia). Governos populistas também desprezam a elaboração ficcional que não seja mero entretenimento.

Um abraço.

Roy Frenkiel disse...

Curti o Matrix, apesar de nao ser o maior fa do filme (amei Blade Runner, por exemplo), provavelmente por Keanu Reeves, que acho pessimo ator. Mas as implicacoes sao essas mesmo.

So sinto a necessidade chata de dar meu pitaco. Esse medo da "magia", ou de tudo que foge do comum, nao e privilegio de fascistas ou direitistas. Primeiro que toda ideologia, toda, cria paradigmas que podem ou nao pertencer ao mundo dos sonhos. Depois que paises totalitarios, de esquerda ou direita, comunistas ou fascistas, partilham do mesmo medo.

Beijao

RF

sandra camurça disse...

Halem, concordo contigo. Mas, talvez, eu não tenha me expressado bem. Não quis dizer que apenas governos totalitários consideram a magia e o encanto supérfluos. Dei como exemplo a ditadura da Matrix, que, no caso, é do que tratam as histórias.
Magia + encanto = fantasia? Taí, gostei!
Beijo.

Roy, eu sabia, eu sabia! que caso você lesse essa postagem você iria comentar exatamente isso. Parece que eu te conheço desde pequenininho,rsrs...Você tá certo, não é só "privilégio" de fascistas e da direita o medo da magia, as esquerda ditatorial também...
Perdoa, vai! ;)
Beijo

Roy Frenkiel disse...

kkkk Temos de conhecer "ao vivo" algum dia, hem?

bjx

RF

sandra camurça disse...

Sim, algum dia, qualquer dia, outro dia, rs...
Beijo