quarta-feira, 31 de agosto de 2011

2 poemas de Augusto de Campos + 1 meu

 Intradução: Asa de Akhmátova (1997)


tour (1994)



************

Ouvindo com os Olhos

não me venha com recital! 
gosto do poema escrito 
parado no tempo
infinito
da página
por isso não me peça 
os ouvidos
que só gosto de ouvi-lo 
com o tempo dos olhos


5 comentários:

Marcelo F. Carvalho disse...

Poema em movimento, a vida que comemos todos os dias.

sandra camurça disse...

Sim, o maior deles. Difícil é fazê-lo mais estimulante...

luiz gustavo disse...

"...luxúria lunária de chumbo
solventre
de escamas agônicas..."

Raul Motta disse...

O som do poema é de dentro pra dentro...

Abraços!

sandra camurça disse...

do fundo pro(fundo)...rs...

Beijabraços!