terça-feira, 20 de março de 2007

O Carnaval do Nicomar

Queridos e queridas,

A contragosto cedi, por hoje, o espaço desse blogue à minha estimada, digo, ao meu estimado amigo Ernesto Gamuza. Já fazia tempo que ele não aparecia por aqui, né não? Mas ele ficou um tanto indignado comigo por levantar suspeitas sobre a idoneidade do Dr. Nicomar Lael. Só permiti que escrevesse aqui porque sei que está bastante apaixonado por esse advogadozinho meia-boca. Fazer o quê? O amor é cego...

Agora Ernesto, faz favor! Nada de pornografia, estou numa fase zen, nada de excessos, viu?!

Segue o texto (pequeno, ainda bem!):


...Quando avistei aquela moça percebi no ato que tratava-se de um
homem, ou melhor, uma biba. Quanto riso, oh quanta alegria! Minha nossa! Aquele homem dançando caboclinho, frevo, maracatu, era de uma graciosidade... nham, nham, nham! Aproximei-me dela, digo, dele, que estava semi-nu com saia de índia xucuru. Sussurrei obscenidades em seus ouvidos e senti que ficou arrepiado. Segurei em sua mão e fomos para o Pátio de São Pedro, onde sentamos num bar e começamos a conversar.


- Pelo seu sotaque...você não é daqui, é? – perguntei eu.
- Sou paulista – disse ele ajeitando a saia com muita sensualidade.
- É a primeira vez que vem a Recife?
- Sim, um amigo meu pernambucano, que mora em Sampa, disse que Pernambuco tem o melhor carnaval do mundo. Então resolvi conferir.
- Hummm, sei...- disse eu, louco para agarrá-lo – e aí, ta gostando?
- Noooossa! Tô a-man-do! Marconi, o meu amigo pernambucano, tem toda razão! Isso aqui é bom demais, gente! Inicialmente pensei que fosse ufanismo dele.
- Que beleza, seu entusiasmo... – disse eu, quase babando - Mas me diga uma coisa: Com quem você aprendeu a dançar tão bem frevo, caboclinho, maracatu... hein?
- Ora, com quem mais eu poderia ter aprendido? Com o Marconi, claro. Quando ele ainda morava aqui fez parte do Balé Popular do Recife. O Marconi Leal é ma-ra-vi-lho-so! Além de ser um excelente escritor, dança feito uma louca, digo, um louco.
- Já ouvi falar nesse tal Marconi. Minha amiga blogueira, Sandrinha, costuma visitar o blogue dele. Mas... que tal mudarmos de assunto? Quer ir para um lugar mais aconchegante, onde possamos ficar a sós? – disse eu, com todo o meu poder de sedução.
- Claro, achei você um gato. Vamo nessa!

E assim conheci o Dr. Nicomar Lael, um amor de pessoa, muito inteligente, muito gracinha, muito bonitinho, muito ordinário, muito gostoso, muito...

Bem, Sandrinha pediu-me discrição, portanto para decepção dos tarados de plantão, não entrarei em detalhes sobre o nosso encontro amoroso. Mas devo confessar: ainda estou apaixonado... Ai, Cristo!

Ernesto Gamuza


7 comentários:

Jens disse...

Sandrim (gostou?): obrigado por ceder espaço para o grande Ernesto contar o que vivenciou no carnaval de Recife e assim ajudar a desvendar mais uma farsa montada pela dupla nefanda, ML e NL - a de que são "homens" de reputação imaculada. Pressinto que a verdade triunfará. Nuvens de chumbo escurecem o reinado de Marconi Leal (AHAHAHAHAH - risadas sinistras).
***
Grande Ernesto: grato por vir a público revelar a intimidade do dr. Nicomar Lael, MD. Pena que a Senhora do Refúgio esteja numa fase zen a não tenha te permitido entrar em detalhes sórdidos. Mesmo assim valeu.
***
Beijos para os dois.

Marconi Leal disse...

Dona moça, o ínclito causídico Nicomar Lael, que se encontra em local não divulgado, mandou-me vir aqui para dizer:

1) Que nunca praticou a pederastia, exceto com fins de reprodução.

2) Neste Carnaval, foi ao Recife, mas não para o Carnaval de rua e, sim, exclusivamente para participar do Baile dos Artistas, com a premiada fantasia A Justiça É Cega, Mas Tem Um Olho.

3) Processará toda e qualquer pessoa que insinue algo em desacordo com os parágrafos anteriores.

Quanto a minha participação no Balé Popular, de fato fiz uma ponta num caboclinho, certa feita. Era um caboclo-de-lança. Quem quiser comprovar, ainda tenho a lança comigo até hoje. Posso mostrar. Beijos!

sandra camurça disse...

Seu Moço, o meu estimado, quase irmã, digo, irmão, Ernesto Gamuza está ocupadíssimo com um hóspede paulista - não quis revelar o nome. Mas pediu-me para dizer algumas cositas.

a) Afirma e confirma que o Dr. Nicomar brincou no carnaval de rua de Recife, semi-nu com sai de índia xucuru.

b) o Nicomar pode até ter participado do Baile dos Artistas sem o seu conhecimento mas não pode negar que o acompanhou no bloco "Enquanto Isso na Sala de Justiça...", fantasiado de Super Faturada. Muito suspeito... Ou será que o Nicomar estava sendo faturado(a) por todos, hein?

c) E por último, o Ernesto ficou doido em conhecer sua lança de caboclo... É grande? Pequena? Rígida? Flácida? Com todo respeito, Seu Moço, a curiosidade é do meu amigo, um devasso incorrigível.

Beijos.

sandra camurça disse...

Jens, meu querido!

Minha intuição feminina diz que a dupla ML& NL vai se dar mal, RARARARARA...

Beijos carinhosos e um abração do Ernesto.

Jens disse...

Sandrim:
O castelo de cartas montado pela dupla começa a desmoronar.
***
Sensacional a declaração do dr. Nicomar de que nunca praticou pederastia, exceto para fins reprodutivos.

Jens disse...

Oi Sandrim:
Li a cantada do Ernesto. O charme do ML fez mais uma vítima.

Acantha disse...

Impossível comentar. Não paro de rir com o texto e com os comentários...