segunda-feira, 6 de agosto de 2007

Desfiei meu vestido à tua espera
Quando chegaste, estava eu embaraçada
Eram dez mil fios de seda
revelando-me entre meadas

7 comentários:

Moacy Cirne disse...

Seu ritmo é o de uma canção de ninar para adultos, não? Um poema sensível. Um beijo.

Fernanda Passos disse...

Pode ser o fio condutor de Ariadne ou O esperar insano e prazeroso de Penélope.
Bjs.

mario pirata disse...

posso tirar duas pedras preciosas de palavras daqui e mais uns cartões/fotos lindos teus e botar no blog do portopoesia e no meu blog, posso?

Jens disse...

Sandrix lindix:
Cada vez mais maluquete. Cada vez melhor.
Beijo, carinho.

sandra camurça disse...

MÁRIO, sou copiléfiti...rsrs...fica à vontade.

Vais disse...

Sandrinha,
fico imaginando a cena, o embaraçamento em tantos fios...
Vi uma inocência rebelde nesse desfiar de seda que muito agradou, rs
beijo grande Dona Moça

ACANTHA disse...

Curioso... desfiar, e não tecer..
Ótimo. Mas isso já é esperado...