domingo, 26 de agosto de 2007

não matem as formigas, por favor!

escrevi um poema neste espaço em branco. um poema amoroso, não, um poema erótico, sim, um poema sacana, safado mas tão doce tão doce tão doce que as formigas comeram ou levaram para o formigueiro, cada verso, cada palavra... puxa vida! deu tanto trabalho escrever. dediquei-me com afinco ao poema, como há muito não fazia. sabe, era um poema longo, não, era um poema curto, sim, bem curtinho, um haicai, sim, um haicai e as formigas deram um fim. pois é, as formigas mataram o poema. mas quem sabe ele não retorne? quem sabe?! quem sabe?! talvez ele retorne mais vivo. sim, mais vivo! mais poético! desmembrado em grãos de areia!

10 comentários:

Moacy Cirne disse...

Eis o poema, AQUI, como um não-poema que existe como um poema-sim, com formiga ou sem formiga: não acabem com o poema, por favor. Beijos.

ACANTHA disse...

Mais parece uma cantiga de cigarras... Lindo, lindo, LINDA!

vais disse...

A formiga com ferrão quando pica formiga a mão, o pé, ou onde picar, risos...
Sandrinha, mas que formigas danadinhas, mas olha que se não fossem elas não sairia..., Dona Moça, LINDO! e se o outro voltar, teremos mais um.
bEIJÃO

Fernanda Passos disse...

Deixarei as formigas bem vivas para te inspirarem a fazer um lindo poema. Tão lindo como essa prosa poética que comento.
Bj pernambucana arretada. rsrs.

Marcelo F. Carvalho disse...

Sandra, mas nós também somos formigas. Roubamos os poemas dos outros para darmos nossas próprias interpretações a eles. Eu, então, sou formiga sempre. Chego no teu Refúgio e roubo mesmo, vira meu! Levo as palavras para casa, cuido delas como se fossem minhas, depois as monto. Não ficam tão boas quanto as suas, mas fazer o quê? Hehehe
______________________
Abraço forte!

Jens disse...

Sandrix lindix:
Voltei! Bom estar contigo de novo. Estava com muita saudade da tua sensibilidade expressa em versos, imagens e cores.
Perdoa por não ter participado da tua festa de aniversário. A ausência foi involuntária. O micro estava dodói. Receba, um pouco atrasado, um grande beijo e um grande abraço, junto com um cesto de alegrias. Você é tudo de bom e merece as coisas boas que a vida tem pra oferecer. Gosto muito de ti.

Fernanda Passos disse...

Sandra, por tua capacidade de dialogar "virtualmente"(rsrsr), pela atenção que vc me dá nos momentos em que decide ir ao meu blog e comentar o que escrevo, resolvi PRESENTEAR vc. Tá lá no Poesia na Veia. Passa lá e vê se aceita. Um bj grande.

Fernanda Passos disse...

Vc acha "teen" né? rsrsrs.
Bom o importante é q lembrei de ti.
bjs.

Fernanda Passos disse...

Hummmmmmmm! Entendi! O músculo, cérebro pequeno. E outras cositas....
E a defesa da língua. Viva o Projeto de Aldo. Sou defensora dele tb. Há e apóio o MST. Bjs.

sandra camurça disse...

Fernanda, você não pára de pensar um minuto sequer, mulher? É uma filósofa mesmo! E eu só penso em abobrinha, rsrs.
Beijos.