quarta-feira, 3 de outubro de 2007

a revolução sem rosto


Vocês já ouviram falar no Wu Ming? Eles criticam a propriedade intelectual e são a favor do copyleft.

Sim, sim, podem ter certeza, depois de todo esse rolo entre meu querido Marconi Leal e Fausto Wolff (ver aqui) fiquei pensando sobre questões relativas a direitos autorais. Não que Marconi não tenha razão em se sentir lesado. Mas se Fausto errou pela apropriação de algo que não era dele, Marconi exagerou na dose ao defender sua propriedade intelectual. Essa é a minha opinião. Já estava louca pra falar isso mas estava esperando o desfecho dessa história pra não pôr mais lenha na fogueira. Gostaria de escrever um texto mais longo sobre minhas opiniões mas não tenho talento suficiente para isso, sem falar que ando muito cansada com os problemas de saúde do meu pai. É isso... Visitem o sítio do Wu Ming. Vale a pena.


"Toda propriedade é um roubo"
Quem foi mesmo que disse isso?

8 comentários:

César xrmr disse...

Acho que a frase "A propriedade privada é um roubo" é de Proudhon.

Jens disse...

Sandrix:
Hoje vou discordar. Creio que o Marconi tem toda razão em exigir o reconhecimento do seu trabalho. Talvez você não se importe se alguém se apropriar de uma produção sua e assumir a autoria. É muito desprendimento. Acredito que a maioria das pessoas não é assim. E qual o problema em identificar o autor? Não é mais bonito assim?
Quano à frase, acho que se refere à economia, particularmente a propriedade de terras. Não vamos misturar alhos com bugalhos. Tem a moral dele e a nossa. Se queremos um mundo melhor, temos a obrigação de ter uma postura de respeito do trabalho, seja manual ou intelectual.
Sabe, este episódio me deixou num baixo astral do c...
Um beijo cansado.

Jens disse...

PS: a moral "deles".

sandra camurça disse...

JENS: sou contra a propriedade e contra a apropriação, acho que deixei isso claro na postagem ao colocar em negrito essas duas palavras. E também acho que Marconi tinha direito de reclamar sim, justamente porque FW se apropriou de seu texto. Na verdade é tudo muito paradoxal, estou pregando uma revolução que talvez nunca virá. Mas acho importante pensar e falar sobre essas coisas. Repensar esses valores. E quanto a frase de Proudhon, por que ela não poderia se adequar à propriedade intelectual, artística, etc tal? Você já pensou se as imagens que você, Marconi, e tantos outros blogueiros utilizam (eu mesma já usei) estivessem protegidas por direitos autorais? Como os blogues seriam ilustrados? Alguém tem que ser generoso, não?

Olha, Jens, não gostaria que alguém se apropriasse de um poema, texto ou desenho meus. Podem copiar, é claro, à vontade, mas com os créditos meus. Não critico Marconi por ter reclamado seus direitos, só achei que ele exagerou, só isso. Puxa, essa história de propriedade intelectual é polêmica demais. Tem muita coisa pra se discutir... Continuemos refletindo, contiunuemos.

Dá uma olhada no que dizem e defendem o Coletivo Wu Ming, é bem bacana, Wu Ming em mandarim quer dizer "Anônimo". Além do sítio deles, se você procurar no google "WU Ming e propriedade intelectual" vai achar algumas entrevistas do grupo, que não é composto por chnineses mas sim, italianos, Tutto bonna gente.

Beijo grande.

sandra camurça disse...

César, é isso mesmo , é de Proudhon. Modifiquei ligeiramente, né? ;)
Grata.

ACANTHA disse...

Concordo com você, relativamente ao exagero e generosidade, SANDRA...

sandra camurça disse...

Maravilha, ACANTHA, posso te plagiar? Hehehe...

Fernanda Passos disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkk. Não sei.......sei lá!
P.S: Referindo tb ao post anterior.
bjssssssssssssss