sábado, 23 de fevereiro de 2008

hoje
remexi memórias
guardadas
lembranças
não manipuladas

descobri que as recordações
essenciais
vivem em mim

hoje
joguei fora papéis
cartas
e pastas
cheias de traças

6 comentários:

Moacy Cirne disse...

Recordações essenciais fazem parte de nossa caminhada pelas veredas da vida. Seu poema, assim, realiza-se plenamente. Com o talento de sempre. Um beijo.

Jens disse...

Oi Sandrix
As lembranças que sobrevivem no coração são as que importam. O resto é superflúo.
Beijo, abraço, queijo.

Ane Brasil disse...

Sandrão, falou e disse.
"eu hoje joguei tanta coisa fora"... é tão bom fazer faxina de vez em quando!
sorte e saúde pra todos!

sandra camurça disse...

ANE, depois que escrevi o poema tb me lembrei dessa música do Herbert Vianna:
"eu hoje joguei tanta coisa fora/e vi o meu passado passar mim/cartas e fotografias gente que foi embora/a casa fica bem melhor assim..." e lá adiante ele canta: "tendo a lua aquela gravidade aonde o homem flutua, merecia visita, não de militares mas de bailarinos e de você e eu".
beijos, menina, :-)

Marcelo F. Carvalho disse...

Sandra, o papel, a carta, o sorriso recebido no ônibus, o perfume que santimos andando na rua... Somos o que nos acometeu... Jogue tudo fora! A gente só quer você.
Abraço forte!

Vais disse...

Sandrinha,
que maravilha
'descobri que as recordações
essenciais
vivem em mim'
Isto de dar uma geral por todo lado é bom
beijo grande