quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

tem gente
que escreve como pensa
outros
escrevem como quem sonha
eu tiro cara ou coroa
pensando a idéia
cantando a rima
pra ver se minha loa
nunca termina

ooooo

difícil explicar
quando voltei à realidade
comecei a sonhar

6 comentários:

Pirata Z disse...

menina, continue assim, sem se cansar de transbordar verdades em beleza - ou belezas de verdade, tanto faz -, está?
besito meu

Lau Siqueira disse...

sim, transbordamento, Sandra... eis o que vejo por aqui. Estou no rio. Devo encontrar o Moacy amanh� quando lan�o meu livro aqui no Rio, onde estou. Mas, somos vizinhos. Moro em Jo�o Pessoa.
Um beijo!

R.C disse...

Estou tão triste, lágrimas em riste, ao aquém, se pedisse, não riria de seu chiste.

Jens disse...

Oi Sandrix.
Hummm, sinto que estás te aprimorando poeticamente a cada dia que passa. Talvez seja hora de começar a pensar no livro (como ilustrações, é claro).
Um beijo.

R.C disse...

Sabe quando você suspira naquela profundidade que acaba acarretando as profundezas de outrora rasos? Hoje estou suspirando, infinitamente suspirando, esperando a certeza de que o incerto leva a qualquer lugar, que não rodamos o moinho descalcados sem saber o que há do outro lado da divisória calamitosa. Hoje eu só queria poder viver em um de seus carnavais sacanas em bacanais sem pensamentos, onde todo meu ser seria (e quase é), uma única gota de sêmen.

(Tô inspirado, desculpa a invasao desconexa, rs, nao tenho onde postar mais poesias :P)

Moacy Cirne disse...

Gostei sobretudo do segundo, minha cara. Sim, amanhã devo encontrar Lau (um ótimo poeta!) num bar de Ipanema. Beijos.