sexta-feira, 27 de outubro de 2006

eleições - poesia

UM POEMA É UM POEMA É UM SONHO
Moacy Cirne in
Balaio Vermelho

uma esperança não se constrói
da noite para o dia
nem se faz fácil
como o sorriso de uma criança
morena negra loura ou azul
verde ruiva ou mangaba
assim sendo assim sim
ainda é possível
sonhar com o sonho
mais uma vez
mais uma vez
é possível sonhar
com um brasil nosso sonho
nossa dor nossa luta
e de sonho em sonho
sonhar com a poesia
sonhar com a alegria
sonhar sonhar para espantar
para bem longe longe longe
o medo dos atormentados
o medo dos desesperados
o medo dos destemperados
assim sim assim sendo
sonhar sonhar sonhar
com acari caicó e jardim do seridó
fortaleza recife olinda e ouro preto
joão pessoa currais novos e porto alegre
natal rio de janeiro e belo horizonte
a aurora que se faz
bela chama bela flama
cantos e cantorias
glórias e alegorias
assim mais assim
menos e mais
sonhar como nunca
se sonhou antes
em outros carnavais
em outros temporais
em outros brasis
um brasil-operário que te quero
13 vezes 13 vezes 13
o país dos mil desejos
anseios naviloucas
e uma esperança:
a esperança de um brasil
mais brasileiro
mais justo
mais povão
sem perder a ternura jamais
nas palavras de um revolucionário
latino-americano latino-africano
latino-ameríndio negro e branco
como um brasil de todos os sonhos
e de todas as luas e lutas
sem perder a ternura jamais
sem perder a ternura jamais

Um comentário:

Moacy disse...

Obrigado, Menina, obrigado: a favor de Lula, a favor do Brasil. Um beijo.