terça-feira, 24 de outubro de 2006

eleição - emoção e razão e...

Nossa, nem sei por onde começar. São tantas emoções... Mas eu realmente gostaria de entender quando alguém (geralmente gente da direita) critica o voto com emoção. Já viu votar sem emoção? É, sei que tem mas acho que essas pessoas não sabem viver. Como não votar com paixão, emoção, devoção. O meu voto é devoto.

Tem neguinho que acha que emoção é pra artista, pra músico, pra poeta. E que política se situa no território da razão, só e somente só razão. É verdade que emoção e razão são opostos mas isso não significa que sejam inconciliáveis. Muito pelo contrário, um pode alimentar o outro. A razão ilumina a emoção. E a emoção aquece a razão. Luz e calor por acaso são opostos?

Não precisa ser isto ou aquilo. O bacana é isto e aquilo. O legal é somar e não excluir. Mas parece que a idéia de exclusão está tão enraigada em nossa sociedade conservadora...

Posso ser isto e aquilo. Podemos ser múltiplos. Vamos festejar a multiplicidade! Vamos brindar a diversidade! O PT tem, sempre teve essa diversidade, essa multiplicidade de orientações. Porque é um partido verdadeiramente democrático. Enquanto que o outro lado, o lado mau da força, o lado Darth Vader (lembram de Guerra nas Estrelas?) é conservador e fechado, não sabe nada sobre “razão e sensibilidade”.

Mas eu queria também falar sobre essa coisa do carisma do Lula. Porque o povão adooora ele. É como se ele, Lula, fosse um espelho. “Me vejo no que vejo.... sou a criatura do que vejo” (Octavio Paz). Lula é a cara do povo. E isso faz bem a auto-estima. Porque ele, o povo, sente que tem alguém ali, na presidência, que compreende o que ele sente, o que mais precisa. Onde há carência e miséria, há idolatria, há emoção, há paixão, há devoção. Voto do povo, voto devoto. Então deixa a gente votar com emoção. Faz bem à saúde, aquece a alma.

Há de haver razão mas sem perder a emoção jamais. Um certo revolucionário poderia ter dito essa frase.

2 comentários:

Moacy disse...

É isso aí, minha cara: nada melhor do que parafrasear Guevara, neste momento. Pareceu-me perfeito. Um beijo.

marconi leal disse...

E a emoção se torna ainda mais intensa quando se sabe contra quem é a batalha e o que ela representa, dona moça. Muito bom.