sábado, 3 de maio de 2008

maio de 68

"o poder ao povo"
o
o
PS: Imagem de autor desconhecido.

Les murs ont la parole; Journal Mural Mai 68,citations recueillies par Julien Besançon. Paris : Tchou Éditeur, 1968.São mais de 1000 frases escritas com revolta, suor e lágrimas - e amor juvenil -nos muros da Sorbonne, do Odéon, de Nanterre,em Paris, no famoso Maio Francês de 1968. Eis aqui a história viva do momento/movimento em frases que revelam as mais diversas tendências políticas e sociais: Exagerar é começar a inventar/ A poesia está nas ruas/ Somos todos "indesejáveis"/ Decreto o estado de felicidade permanente/ Morte aos acomodados /Todos os reacionários são tigres de papel/ Aqui se pensa/ Se você pensa pelos outros,os outros pensarão por você/ Ser livre em 1968 é participar/ Nenhuma liberdade aos inimigos da liberdade /Tudo é dadá/ Abrace teu amor, sem descuidar-se de teu fuzil/ Abaixo a sociedade espetacularizada-mercantilizada/ Um homem não é estúpido ou inteligente: ele é livre ou não é/ A arte é merda /A felicidade é uma idéia nova para as Ciências Políticas/ A liberdade é o direito ao silêncio/ O tédio transpira /Todo poder abusa. O poder absoluto abusa de forma absoluta/ Eu sou buceta/ Violai vossa ALMA MATER/ Aqui, o espetáculo da contestação. Contestemos o espetáculo /A vida está além/ A ação instaura a consciência/ A política se faz na rua /Um pensamento estagnado é um pensamento apodrecido/ Revolução, eu te amo/ As restrições impostas ao prazer excitam o prazer de viver sem restrições/ Nem Senhor, nem Deus. Deus sou eu/ A Revolução deve se fazer nos homens antes de se realizar nas coisas/ Nem robô, nem escravo/ Reforme o meu cu/ Inventai novas perversões sexuais/ É proibido proibir. A liberdade começa por uma proibição:a de prejudicar a liberdade de outra pessoa /A floresta precede o homem, o deserto o segue /A novidade é revolucionária, a verdade também/ O álcool mata. Tome LSD/ Contestação permanente/ Abaixo o realismo socialista. Viva o surrealismo /Deus é um escândalo, um escândalo que rende. Baudelaire /Criatividade Espontaneidade Vida/ A morte é necessariamente uma contra-revolução /A vontade geral contra a vontade do general/ A insolência é a nova arma revolucionária/ A liberdade é a consciência da necessidade/ Abaixo o orientalismo neo-exótico /Meus desejos são a realidade/ Sonho ser um imbecil feliz /Sejam realistas, exijam o impossível/ A imaginação no poder/ Liberdade da Universidade.Não ao totalitarismo /Viver no presente/ A Revolução deve parar de ser para EXISTIR /A Sorbonne será a Stalingrado da Sorbonne/ Exagerar, eis a arma /Roma... Berlim... Madrid... Varsóvia... Paris/ A arte morreu. Godard nada poderá fazer [ Nota: algumas dessas frases são releituras de textos anarquistas e socialistas ]
Saqueado à porrada (risos) do Balaio Porreta
de Moacy Cirne.
Gostaria de acrescentar outra frase encontrada nos muros de Paris:
quanto mais eu faço amor mais eu tenho vontade de fazer a revolução, quanto mais eu faço a revolução mais eu tenho vontade de fazer amor (em Paris 1968, As Barricadas do Desejo, Olgária Matos, coleção Tudo é História. Ed. Brasiliense).



6 comentários:

Moacy Cirne disse...

Uma imagem pode valer uma porrada de palavras. Uma postagem pode valer por mil imagens. Beijos.

Anônimo disse...

o medo é habitante impecável. abraços abarcantes

Marcelo F. Carvalho disse...

Sandra, cometeste uma tremenda postagem!

R.C disse...

You say you want a revolution, well, you know, we all want to change the world. But if you want money for people with minds that hate, all I can tell you is, brother, you've got to wait...

:-)

Bom te ler,

Bjx

RF

Vais disse...

Olá querida Dona Moça,
tá bonito, muito bonito, você é uma bela Sandrinha.
Lia as frases lá no Moacy, também, esta última que você colocou, menina, coisa mais instigante!
viva la r evolução!

curti muito estas bolotinhas

estas máquinas e o mimiógrafo fazem parte da minha infância, adolescência, e não tanto da vida de 'adultera'(adoro sacanear a palavra adulto(a)ahahahaha), mas tenho um irmão que ainda tem, agora não me lembro os dois, o mimiógrafo tenho certeza
depois dou um chêgo no blogue

beijo grande e que bom que você taí, taqui

orlando pinhº d-silva disse...

revolução
permanente
ressureição
permanente
dentro da gente
poeta poeta
faz vir o não visto
logo alí à sua frente
.....
meia oito deixa seus rumores e sementes
......
ex: sandra (e muitos) no front