segunda-feira, 12 de setembro de 2011

do riso

o riso
após o siso
é como o sol
desfazendo sombras
brisa leve
tormenta que passa
passarinho 
abrindo asas
a bela que afugenta a fera
o inverno que sucumbe
à primavera

4 comentários:

luiz gustavo disse...

métodos



cantar alto no asfalto
as aves e as libélulas
nos perseguem

- diferenciamos: aves e libélulas

sigo meus métodos
e sangro o dorso
não canto nada -

ela canta e cantava
como avelibélula
voava

mais nada

sandra camurça disse...

Bonito, Luiz, bonito!

Ana disse...

Bonitoooo!

O riso como sol... A primavera...
Tudo tão feliz! E é difícil poesia feliz, sem ser piegas...

sandra camurça disse...

E você, Ana, chega com seu sorriso iluminado como a primavera :)