domingo, 11 de setembro de 2011

sendo

estou reaprendendo
a ser 
sendo eu
porque cer
            ceando-me
                 custou-me
tantos dias borboletas
tantas noites doeu

5 comentários:

Ulisses Borges disse...

Lindo, Sandra! Te ler dá vontade de escrever.

sandra camurça disse...

"Te ler dá vontade de escrever"

Ulisses, esse é um dos elogios mais cheios de ternura que eu podia receber. É bom demais imaginar que o que eu escrevo também é um estímulo pra você fazer poesia. Agora tou me sentindo responsável por você (baixou o Pequeno Príncipe em mim...rs...).

Um beijo carinhoso

Raul Motta disse...

Belo poema!

Jogo lúdico,
palavras sentidas que fazem sentido...

Abraços, bons caminhos...

sandra camurça disse...

Grata, Raul!
Abraços e bons caminhos também :)

luiz gustavo disse...

“...domar
este céu de trégua
é uma tênue sangria...”