quinta-feira, 8 de novembro de 2007

meus versos são teus

depois da regra
sangro novamente

com música indiana
sou flor de lótus

você
é a reg(r)a

4 comentários:

ACANTHA disse...

Você regra as regas e
rega as regras SANDRUSCA..
Adoro, adoro, adoro...

Jens disse...

Oi Sandrix:
O problema é quando a regra não vem. Hehehe... Eu sou é grosso!
Beijo.

Marcelo F. Carvalho disse...

Sandra, eu smepre viajo com as suas poesias. Achei o máximo a regra e o regar. Fiquei pensando no cara ser seu sangue e tem a importância capaz de te "abrir" como flor. Mas regra é sangue impuro e o sexo sem medidas, "regras"... Porra, tô ficando maluco... ahahaha...
________________________
Abraço forte!

Francisco Sobreira disse...

Sandra,
Já há algum tempo tenho vontade de visitar o seu blogue, por causa dos seus comentários no Balaio do amigo Moacy. Mas uma coisa e outra, ia adiando. Hoje, depois de ver mais um comentário, decidi vir aqui. Observei que você cultiva a prosa. Que bom. E embora gostando da sua poesia, me agradei mais com aqueles relatos do rapaz da bicicleta e do senhor de terno. Enfim, gostei do seu blogue. Um abraço.