segunda-feira, 20 de novembro de 2006

do amor próprio e do amor fraterno

Infelizmente, determinadas relações amorosas só nos oferecem duas escolhas: amar o outro ou amar a si própria. Ou seja, algo impossível - não há amor ao próximo sem amor a si próprio.

Todavia, esse mesmo amor (se ambos desejarem) pode adquirir novos contornos:
a ética/estética do amor fraterno...

"...quem poderá fazer aquele amor morrer se o amor é como grão? Morrenasce trigo, vive, morre pão" (Gilberto Gil, Drão).

7 comentários:

Marco Aurélio disse...

Sandra

No Dia Nacional da Consciência Negra gostaria aproveitar para denunciar o tipo de barbaridades que a Petrobrás tem incentivado. Já ouviu falar no“filme”

Manual Para Atropelar Cachorros

O protagonista deste “filme” de noite, para “relaxar”, atropela cachorros. Como a Petrobrás tem a covardia de patrocinar uma barbaridades dessas !? Mandei um e-mail de repúdio para a Petrobrás. Se puder faça o mesmo. Obrigado

Marco Aurélio

Moacy disse...

Sandra: Bastante inspirada a sua postagem de hoje. Abraços.

Jens disse...

Oi Sandrinha, tudo bem?
Amor, amor. o que é o amor? O amor é um buraco no coração.
Um abraço

Marisinha disse...

Oi Sandrinha!
Soube que você sente falta de comentários femininos no seu blog. Então vim dar uma olhada e gostei do que vi. Especialmente o poema Que sabor?, postado mais abaixo. Simplesmente lindo.
Um abraço

sandra camurça disse...

Benvinda, Marisinha! Você é musa do Jens e do Marconi, sabia? Obrigada pela visita e volte sempre. Beijos.

Moacy disse...

Sandra, eis-me de volta, relendo a sua bela postagem, relendo outros textos, outros momentos. Um beijo, Menina.

Marconi Leal disse...

Que bonito, dona moça! E verdadeiro também. Agora, quanto ao que o companheiro Jens afirmou aí acima, discordo. Amor também pode ser um buraco no cartão de crédito. Beijos.