sexta-feira, 24 de novembro de 2006

Memórias do Ernesto (quem se lembra?)

Para quem não conhece, Ernesto Gamuza é um amigo meu de longas datas e que escreveu algumas historinhas sacanas no meu antigo blog (nganga_____adoro manga), na realidade sua memórias eróticas mais safadas. Ontem à noite ele me enviou por emeio mais uma memória.
Ei-la:

AVISO: proibida a leitura para menores ou maiores puritanos, moralistas, adeptos da Opus Dei etc, etc, etc...
MACACOS ME MORDAM, BATMAN!!!Eu tinha acabado um relacionamento de foder a alma, fiquei arrasada (ops) arrasado. Mas tudo passa e passou...ufa. Entretanto, na época, só pensava em morrer - eu sei, eu sei, sou um tanto exagerado - e num domingo ensolarado resolvi passear no Jardim Zoológico. Melancólico, andei de pedalinho, fotografei pavões, acariciei pássaros, rugi com os leões e, como não podia deixar de fazer, dei pipoca aos macacos.
E macaco, sabe como é, né? É uma graça, parece gente. Sempre me divirto bastante diante de suas gaiolas.

Um dos macacos se chamava Alceu, muito legal, só faltava falar. E o Alceu me lançava cada olhar que, pasmem, fiquei excitado. Do jeito que eu tava carente pra caralho... e que caralho tinha o Alceu, putz! Meio cabelulo, admito, mas um caralhaço! Então assim...é...
discretamente, sabe...na boa...com a melhor das intenções, agarrei o pau do Alceu e ele gostou...HUHUHU HAHAHA HUHUHU HAHAHA: foram suas palavras onomatopéicas de prazer. Mas o sacana do macaco gostou tanto que, inteligente que só ele, abriu a grade da jaula e me chamou pra entrar. O macaco quis trepar comigo. Quem já se viu!?! Mas do jeito que eu tava carente pra caralho...(sei, sei, estou me repetindo) arriei as calças e me fiz comida (AU!!!), foi demais, demais! O Alceu me deixou arrasado, NOSSA! Mas depois de caça virei caçador. I’m The Hunter: fi-lo ficar agachado e enrabei o macaco mas tive um azar danado, fui flagrado. Chamaram a polícia, O IBAMA, me lasquei! Exclamei. C’est la vie... dormi no xilindró, mas como não tinha antecedentes criminais (registrados, obviamente), logo me libertaram.
Nunca mais repeti essa loucura, mas cá entre nós, não me arrependo: QUE FODA DA PORRA, BICHO!!!

4 comentários:

Marisinha disse...

Oi Sandroca:
esse teu amigo Ernesto é muito louco. O Jorjão, que não esconde sua preferência sexual por animais, adorou a história (gostaria, se possível, do telefone do Alceu. Alceu?, que Alceu? Aquele que te comeu, hihihi).
Amiga, soube que você está um pouco tristinha. Espero que não seja por causa de homem, porque eles é que devem sofrer por nós e não o contrário. Uma sugestão para acabar com o baixo-astral: caia na gandaia!
Beijocas

Jorjão, contumaz barranqueador de éguas disse...

Oi Dona Sandra:
Mande um abraço pro seu Ernesto. Muito boa a história. Gostaria, se possível, de obter o telefone do Alceu.
Um abraço de Jorjão, seu criado
(PS: tristezas não pagam dívidas, sorria - a vida é bela!)

sandra camurça disse...

VALEU!!! Queridos novos amigos. Vocês têm toda razão, não vale a pena sofrer por homem nenhum. Infelizmente o Ernesto não conseguiu o telefone do Alceu. Que pena, hein, Jorjão? Um abraço e um beijo pra tchurma toda. E para o meu querido o Jens, um beijo muito carinhoso. E o Ernesto também manda um abraço!

Acantha disse...

Sofrer... Na minha idade, linda, até sofrer por amor é bom...