sábado, 18 de novembro de 2006

Subjetiva

a Roland Barthes

Sou pessoa subjetiva
como câmara clara:
lúcida.
Objetiva só a lente
da minha câmara:
escura.

2 comentários:

Jens disse...

Oi Sandrinha:
a poesia é necessária.
Arriba!
Um abraço.

Félix disse...

Subjetiva ou objetiva, vc é um amor. Bjs.