quinta-feira, 15 de fevereiro de 2007

A Sombra (Parte 2)

Theo era um rapaz tranqüilo mas nos últimos tempos sentia-se angustiado não sabia se estava crescendo ou enlouquecendo à sombra da densa nuvem. Recebia muitas cartas do seu irmão artista e lhe falava daquela sombra e redemoinhos moinhos e da falta de sol que sentia doer tudo a sua volta: doía a companheira doía a vizinha doía a mãe doía o pai o filho seu espírito quase santo doía o dente a unha encravada doía até sua alma doía e Theo desabafava em cartas a seu irmão famoso que também doía e saía em busca de luz e cores... Vincent grande Vincent!

(continua...)

4 comentários:

Jens disse...

Ora, ora, ora, A Senhora do Refúgio está deixando pulsar a veia literária. Sorte nossa, seus leitores. Imagino que Vincent seja o van Gogh e Theo seu irmão,(viu como sou espertinho?).
(Nada a ver: aqui em POA tem um boteco de nome Van Gogh, aberto 24 horas. Uma tradição que sobrevive ao tempo é a sopa do Van Gogh, capaz de reanimar os fracos e de incríveis poderes afrodisíacos. O costume, que passa de pai para filho - e filhas - é o seguinte: no final das festas, quando o sol já está mostrando a cara, todos os caminhos levam ao Van Gogh. A desculpa é sopa. O motivo real é beber mais. Ah, essa juventude transviada...
Como eu disse: nada a ver).
Um abraço e um beijo.
(PS: quais os planos para o carnaval? Muito frevo, a exemplo do grande Marconi? De minha parte vou ficar aqui, curtindo a solidão e adiantando o trabalho. E navegando pela internet só para constatar que todos os amigos blogueiros estão em recesso, na farra momesca (uma ofegante epidemia, como definiu o Chico). Já estou p*** da cara por antecipação. Inveja, inveja, inveja...
De novo: um beijo e um abraço.

sandra camurça disse...

Acertou na mosca: é Van Gogh e seu irmão mesmo.
Veia literária? Sei não...mas eu me esforço.
Esse bar em POA deve ser bacana, hein?
Quanto ao carnaval, bem, não sou uma grande foliona mas adoro a festa, é lindo demais! tudo, tudo, os frevos, os maracatus, os sambas, afoxés, os xous, o colorido que invade as ruas, energia pulsando solta, sem regras, sem preconceitos, alegria, alegria nos rostos de crianças, jovens, velhos. Não é por nada não mas Pernambuco tem o carnaval mais lindo do Brasil, pela diversidade e por todo que já citei acima. Vou brincar sim mas não o dia inteiro, não güento mais, acho que é o peso da idade, por isso o blog não entrará em recesso. Escrever é uma necessidade...
Beijo Grande, inté.

Moacy Cirne disse...

Oi, Sandra, a primeira impressão foi favorável; você tem uma escrita "quente", capaz de nos envolver. Mas é preciso voltar com mais calma e, sobretudo, esperar pelo final da narrativa. (Aqui, em Natal, o blogue geralmente é atualizado na rua e o meu tempo, pra variar, é curto.). Um beijo e bom carnaval.

sandra camurça disse...

Valeu, Moacy! Um ótimo carnaval procê. Beijo Grande!